01 abril 2015

Dois membros do CMB alcançam o cume de ubiña pela face noroeste.



Esta semana vamos transcrever a aventura de dois elementos do CMB, contados na primeira pessoa.

Dois membros do Clube de Montanhismo de Braga, Paulo Soares e Manuel Martins, alcançaram o cume de Ubiña pela face noroeste.









Elixir de la Suerte, é uma via clássica invernal na face noroeste de Peña Ubiña (2417m). Uma via de 550m (III/2, 55°), com vários passos mistos delicados, segundo a quantidade de neve e seu estado. A sua primeira ascensão data do inverno de 1982.





Decidimos aproveitar as excelentes condições climatéricas para realizar a via há muito adiada devido ao mau tempo. Assim, saímos de Braga e depois de uma viagem de 4h30m chegamos ao fim da tarde à localidade Lionesa de Torrebarrios. Onde tivemos a oportunidade de trocar algumas impressões com uns alpinistas sobre as condições da via, de pouco serviu pois nunca a tinham feito (estávamos por nossa conta).
Depois de uma noite bastante fria, lá preparamos todo o material e saímos da aldeia pelas 8h, bastante tarde, tempo que nos fez bem falta.









Depois de 2h30m de aproximação chegamos a um local seguro para colocar o equipamento e apreciar a verdadeira dimensão da via que nos propusemos efectuar.





Iniciamos sem grandes dificuldades uma vez que a neve estava em boas condições e a via bem visível, rapidamente chegámos aos 45° em que a neve se encontrava num estado granulado e muito pouco consistente. Seguimos junto a parede direita em que a progressão mista é uma constante, com pedra bastante fraca para as reuniões, o que nos obrigou a uma redobrada concentração, aproveitávamos estas paragens para contemplar a paisagem.  







A falta de neve obrigou-nos a sair da rota o que nos colocou numa situação bastante delicada, uma pendente exposta que tínhamos de transpor (55° a 60°) com passes de III. Depois de mais um delicado passe,  entramos na transversal, que seria de uns 50m.





A quantidade de gelo para transpor a queda de pedras e gelo, tornaram esta travessia mais demorada. 




Saindo da parte mais delicada chegamos ao corredor com uns 45°, aqui encontramos uma plaquete o que nos garantia que estavamos no caminho certo,  seguimos então pelo canal que nos levaria á crista cimeira, aqui viramos à esquerdo e em 200m estávamos no cume de Ubiña, chegamos já ao fim da tarde.







Depois da foto da praxe e de apreciar essa fantástica paisagem regressamos a Torrebarrios pela crista sul, uma pendente exposta não mais de 40°, e com um elevado risco de possíveis avalanches, foi uma descida penosa pois a neve estava bastante mole sendo necessário a utilização de raquetes, que não tínhamos.
Realço que realizamos esta actividade com total segurança, utilizando todo o material disponível, desde, estacas, frendes, piton e fitas para ancoragens, bem como equipamento de protecção individual, a corda recomendada é de 60m. Embora tenha demorado mais tempo do que o previsto ,foi uma atividade bem sucedida e regressamos a casa cansados mas com a sensação de missão comprida.







Paulo Soares

Manuel Martins

   Nota: os protagonistas desta aventura fizeram um video sobre a mesma que pode ser visualizado no Youtube no seguinte endereço:

   https://youtu.be/Ug06dgasiUk

Sem comentários:

Publicar um comentário

comentários