08 junho 2016

Infecções frequentes nos viajantes




Evitar agulhas contaminadas e transfusões sanguíneas nos países subdesenvolvidos






Muitas doenças infecciosas transmitem-se de pessoa para pessoa devido ao uso de agulhas não esterilizadas e transfusões de sangue não controladas.





Algumas das doenças mais importantes, são a infecção pelo HIV e outros retrovírus, a hepatite B e outras hepatites víricas, o paludismo, febres recorrentes, a tripanosomiasis sul americana (doença de chagas) e as febres hemorrágicas virais. O perigo é especialmente elevado nos viciados em drogas por via intravenosa.





Lógicamente que as drogas que causam dependência não têm lógica numa expedição, pois além dos efeitos nocivos que provoca o seu uso a longo prazo, alterariam perigosamente a competência  dos expedicionários.





Já se sabe que os acidentes são os principais perigos que as expedições enfrentam. Pode-se tratar de um pequeno acidente, como de um corte que necessita ser suturado ou um corte que infeccionou e necessita de um antibiótico injectado.





Os viajantes solitários e as pequenas expedições devem levar consigo um pequeno kit médico esterilizado e insistir para que o seu conteúdo seja usado para qualquer injecção ou sutura que seja necessário.
 Para as expedições maiores é fundamental um kit mais elaborado que contenha material de perfusão, expansores plasmáticos, etc.





 É aconselhável que todos os viajantes conheçam o seu grupo sanguíneo antes do início da expedição. Pode acontecer que dois ou mais membros da expedição tenham sangue compatível.






 Convém averiguar com antecedência onde se pode dispor de sangue fiável no país de destino.





Também se pode beneficiar da cobertura da "Blood Care Foundation, uma instituição de caridade registrada à qual se paga uma quantia simbólica e que em caso de urgência trata de enviar por intermédio de um mensageiro abastecimentos de sangue compatível para transfusão. O contrato pode ser estabelecido na maioria das clínicas de viajem.





Com este artigo terminamos este tema. No próximo artigo voltaremos com outro tema. Até lá...






Boas caminhadas

Sem comentários:

Publicar um comentário

comentários