11 setembro 2013

A participação do Zé Nuno no UTMB contado pelo próprio




Esta semana decidimos dar destaque à aventura de um nosso associado, que consideramos ser digna de grande destaque.

O nosso amigo Zé Nuno que correu no UTMB (Ultra Trail du Mont Blanc) com o dorsal 3144 e em representação do CMB (Clube de Montanhismo de Braga), fez-nos um relato do que foi a sua participação nesta dura prova, e que transcrevemos na primeira pessoa.






“ Esta prova contou com cerca de 2300 participantes representando cerca de 52 países e com uma representação portuguesa de cerca de 20 atletas.




A prova começou bastante bem e tudo correu como estava previsto ate aos 30km (Les Contamines) a fazer 7km por hora e em 595º da classifciação geral.




Em boa verdade a dureza da prova começa neste ponto onde enfrentamos uma parede de 13km e 1500 metros de desnível positivo que nos coloca no Col de Bonhomme .




A partir daqui descemos para Chapieux (ao km 50) o primeiro grande abastecimento solido e liquido. Nesta fase já temos cerca de 3000 metros ganhos de desnível e ocupava a posição 628.






Segue-se mais um grande col, desta feita La Seigne , com 5km de subida constante para atingirmos os 2500 metros de altitude.
A partir de La Seigne tive alguns problemas de estomago e depois de fazer a descida até Lac Combal não me contive e tive que vomitar.







Daí até Courmayer eram cerca de 13km com uma subida de 500 metros de desnível até Arete du Mont Favre onde de seguida descíamos até Courmayer.







Nesta altura apenas comia pão e bebia chá para tentar recuperar da crise gástrica. Após descansar a 1192mtors de altitude em Courmayer (km 77)





 subi até ao refugio de Bertone (1979metros de altitude)





 e entro no Val de Ferret, onde passo pelo Refugio de Bonatti para uma pequena paragem de abastecimento líquido e sigo para Arnuva onde cumpria 20 horas de prova e encontrava-me em 937º da geral.










Após uma pequena paragem, surge mais uma grande subida, desta feita para o col de Ferret, ponto mais alto da prova a 2527metros de altitude.





Segue-se uma enorme descida de cerca de 11 km que nos deixa em La Fouly (km 108). este ponto era a minha barreira psicológica pois em 2008, quando participei pela primeira vez no UTMB  foi este o local onde desisti. 







Desta vez senti boas energias e após descansar 15 minutos enfrento a terceira parte desta prova e conheço três companheiros (Imanol Resola, Kauldi Resola e Imanol Arruti) do País Basco que me farão companhia até final da prova. Na verdade apanhei boleia deles pois iam com um ritmo ligeiramente mais forte e que me despertou de certa maneira do ritmo que levava até então. Após termos feito quase 8 horas em grupo, Kauldi, um dos companheiros Bascos começa a queixar-se de uma dôr forte no joelho e começa a coxear. Nesta altura estávamos no col de Catogne (2009metros de altitude) e com um abastecimento a cerca de 5km situado a 1100metros de altitude.







 Muito embora os meus companheiros me tivessem dito para continuar a minha prova, decidi ficar com eles para o que desse. Seguimos então até Vallorcine, onde fui com o Kauldi ao posto médico para averiguar da  gravidade da lesão.






Depois de alguma conversa com a equipe médica ele decidiu continuar e por isso seguimos os quatro mas desta feita quase sempre a passo. A partir daqui tentamos fazer a gestão do tempo para que pudéssemos cruzar a meta dentro do tempo limite. Por volta das 11:36 da manhã de Domingo, cruzamos os quatro a meta em Chamonix com o tempo de 43h06min.





Cumpri assim um dos objectivos da prova que era terminar, tendo relegado o tempo de prova para segundo plano. Ganhei no entanto mais três amigos e uma experiência inesquecível de competição a qual aconselho desde que feita a devida preparação.”    

Abraço
Zé Nuno




De seguida podem ver um pequeno filme realizado com diversas fotos recolhidas de UTMB 2013 e onde se destaca no final as fotos do nosso amigo Zé Nuno. Desfrutem.


video

Sem comentários:

Enviar um comentário

comentários